Notícias

Painel online debate futuro do RS sem aftosa

12/05/20

O presidente do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal do Rio Grande do Sul, Rogério Kerber, foi um dos convidados do Painel Online promovido pelo deputado Federal Jerônimo Goergen no Youtube e Redes Sociais. Além de Kerber, o coordenador da Comissão de Pecuária de Corte da Farsul, Pedro Píffero, o coordenador do Programa de Prevenção à Aftosa na Secretaria da Agricultura no RS, Fernando Groff, e o presidente da Federação das Associações de Raça do RS (Febrac), Leonardo Lamacchia, participaram do debate.

Com o título “RS livre da Febre Aftosa”, o painel trouxe atualizações sobre o andamento do projeto de avanço de status sanitário no estado, bem como opiniões sobre os impactos da medida para o agronegócio gaúcho. O presidente do Fundesa listou as principais ações realizadas pelo fundo ao longo de mais de 10 anos na modernização do sistema de defesa agropecuária do estado e com investimentos de mais de R$ 42 milhões. Kerber destacou que muita coisa mudou desde o último foco da doença no rebanho gaúcho e que, nas outras enfermidades que atingiram o estado, como Aujesky (suínos, 2003) e New Castle (aves, 2006) o atendimento do Serviço Veterinário Oficial foi de excelência, sendo os focos eliminados sem a necessidade de retrabalho. “Saímos da era do papel, passamos pela informática e agora estamos rumo a uma nova fase, em que as tele reuniões se fazem essenciais e têm se mostrado uma boa ferramenta de trabalho”, afirma Kerber.

O deputado Jerônimo Goergen afirmou que não se faz saúde e segurança sem investimento e destacou o protagonismo do Fundesa no cenário nacional. “O Fundo gaúcho é reconhecido como um exemplo a ser seguido pelos estados que estão tentando formar seus próprios fundos”, elogia. O coordenador da Comissão de Pecuária de Corte da Farsul, Pedro Píffero, reconheceu a necessidade de avançar o status sanitário, mas afirmou que o pecuarista vai levar mais tempo para se beneficiar das melhorias de preços e mercados. O presidente da Febrac concordou com a afirmativa, mas destacou que reduz a dependência do mercado chinês, o que é muito importante.

Por fim, diante de possíveis temores em relação à volta da doença, o parlamentar salientou que “o risco de perda, se houver, não é só do produtor. É do Rio Grande todo. E o ganho, quando houver, será de todos, inclusive do produtor”.

Para assistir o painel na íntegra, basta acessar: https://youtu.be/VRAXR5wSXDg


Voltar para notícias

    Entidades constituintes

    • Sips
    • Asgav
    • Sipargs
    • Sindilat
    • Sicadergs
    • Farsul
    • Fetag
    • Acsurs
    • Sindicarnes