Notícias

Módulo da Plataforma de Defesa Sanitária Animal vai ajudar na análise de risco

22/04/21

*Texto de Thais D'Avila

 

Novas funcionalidades deverão ser implementadas no módulo de Certificação de Granjas Avícolas da Plataforma de Defesa Sanitária Animal do Rio Grande do Sul (PDSA). A ferramenta é fruto de um convênio entre o Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal do RS, Secretaria da Agricultura do Estado e Ministério da Agricultura, através da Superintendência Federal de Agricultura no RS (SFA-RS) com a Universidade Federal de Santa Maria.

Na semana passada, em uma reunião para avaliação dos seis meses de funcionamento do módulo, a responsável pelo Programa Nacional de Sanidade Avícola do Mapa na SFA-RS, Auditora Fiscal Federal Agropecuária Tais Oltramari Barnasque, revelou que o objetivo agora é gerar relatórios para indicadores de desempenho e ocorrência de enfermidades. “Essas análises podem contribuir para o desenvolvimento de vigilância direcionada ao risco”. O professor Dr. Alencar Machado, da UFSM, explica que esse foi o objetivo inicial do projeto, e que “muitos processos foram necessários para chegar na ferramenta ideal para a produção de informação relevante para a tomada de decisão”.

O módulo de certificação de granjas avícolas foi criado para organizar o fluxo de informações, amostras e certificados entre o Serviço Veterinário Oficial, as granjas e os laboratórios. Para a responsável pelo Programa Nacional de Sanidade Avícola na Secretaria da Agricultura, Ananda Kowalski, a possibilidade de operar dentro da ferramenta deu aos fiscais das Inspetorias de Defesa Agropecuária mais autonomia, credibilidade e protagonismo. “A PDSA permite uma melhor gestão das informações e a avaliação de quais granjas precisam de mais atenção”, explica.

Avaliação

A reunião de avaliação foi promovida pela Associação Gaúcha de Avicultura, entidade que intermediou as tratativas, junto ao Ministério da Agricultura, para a elaboração do convênio. O presidente executivo da entidade, José Eduardo dos Santos, destacou que o Brasil tem se tornado um grande exportador de genética avícola e que “o sistema vem ao encontro da necessidade de ter mais celeridade e presteza nos processos de certificação”. Santos pontuou o papel fundamental do Fundesa para o desenvolvimento da ferramenta e apoio à defesa sanitária. O presidente do Fundo, Rogério Kerber, afirmou que o apoio à plataforma faz parte da diretriz do Fundesa de qualificar a produção de proteína animal do estado. Kerber afirma ainda que os resultados obtidos demonstram que o Rio Grande do Sul tem trabalho estruturado com embasamento técnico e atuação firme do Serviço Veterinário Oficial.

Além da presença do presidente do Fundesa e representantes do PNSA, o encontro realizado em plataforma virtual, contou também com a participação do presidente da Associação Brasileira de Proteína Animal, Ricardo Santin, da superintendente do Mapa no RS, Helena Rugeri e seus representantes.


Voltar para notícias

    Entidades constituintes

    • Sips
    • Asgav
    • Sipargs
    • Sindilat
    • Farsul
    • Fetag
    • Acsurs